Cuiaba (MT), 18 de maio de 2022

Artigo

12/05/2022 15:25 Dra. Manoela Regina Alves Corrêa Barros

Queloide: tratamento minimiza a proliferação anormal da cicatriz

Você tem queloide? As proliferações anormais de células, conhecidas como queloides, podem surgir por modificações inflamatórias, alteração do metabolismo do colágeno e manipulação cirúrgica. Os queloides são lesões volumosas, dolorosas que causam irritação na pele, podendo surgir em regiões onde são colocados brincos, piercings e locais do corpo que sofrem algum trauma local ou cirurgia prévia.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Para tratar a região, o indicado é a Betaterapia, tratamento que utiliza uma fonte radioativa de Estrôncio 90 em contato com a cicatriz operatória. A Betaterapia age inibindo a neovascularização e proliferação de fibroblastos, o que resulta na diminuição do colágeno e consequentemente na formação do queloide.

A resolução total da região afetada é de difícil controle, sendo que a chance de recidiva é de 50%. Já com a Betaterapia, que é o único tratamento com base científica comprovada, a chance de a queloide voltar é de apenas 20% após o tratamento.

O indicado é realizar a Betaterapia após a cirurgia, como tratamento adjuvante, devendo ser iniciado em até 12 horas após a retirada da lesão e no máximo até 24hs pós-operatório, uma vez que após esse período o controle local diminui.

Lembrando que o tratamento, além de minimizar o desconforto do queloide, também ajuda a minimizar o desconforto estético que pode ser gerado pela protuberância da cicatriz. 

Especialista em Estética Paliativa e Radio-Oncologista Dra. Manoela Regina Alves Corrêa Barros.


Resumo Online

E-mail
Redação: [email protected]

Telefones
(65) 3052-6030 / (65) 3052-6030

Todos os Direitos Reservados para Resumo Online

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo