Cuiaba (MT), 28 de junho de 2022

Geral

COCAÍNA PARA EUROPA 22/04/2022 10:26

Juíza mantém prisão de ex-secretário e lobista acusados de tráfico

Borgato e Rowles Magalhães rebateram razões para continuidade de prisão, mas juíza não concordou.

A Justiça Federal manteve as prisões preventivas do ex-secretário de Estado Nilton Borgato e do lobista Rowles Magalhães durante audiência de custódia realizada na última quarta-feira (20).

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Os dois foram presos pela Polícia Federal na terça-feira (19), durante a Operação Descobrimento, acusados de tráfico internacional de drogas. Borgato encontra-se detido em Cuiabá. Já Rowles, em São Paulo. Os dois são considerados os "cabeças" do susposto esquema. 

 

A decisão é assinada pela juíza Milena Souza de Almeida Pires, da 2ª Vara Federal Criminal da Bahia. A audiência foi realizada de forma virtual.

 

Na ocasião, a defesa de Borgato apontou contemporaneidade do decreto prisional, que conforme o advogado, é baseado em fatos que aconteceram há mais de um ano atrás.

 

Segundo o advogado, atualmente, não há qualquer elemento que indique que a suposta organização criminosa está em atuação.

 

Já a defesa de Rowles algeou irregularidade na prisão, uma vez que no momento do cumprimento de mandado ele não pode contar com um advogado.

Em sua decisão, a magistrada afirmou, entretanto, que a audiência de custódia não é momento processual oportuno à apreciação de matérias atinentes ao mérito da questão, prestando tão somente à averiguação das condições em que se realizaram as prisões, à legalidade no cumprimento dos mandados de prisão expedidos.

"Não foi visualizado nada que tenha eivado de ilegalidade o cumprimento das prisões consumadas, não havendo razões para relaxamento das segregações cautelares", afirmou ela na decisão.

 

A operação

 

Ao todo, a Operação Descobrimento cumpriu 43 mandados de busca e apreensão e sete de prisão preventiva no Brasil e em Portugal. No Brasil, os mandados foram cumpridos nos estados de Mato Grosso, São Paulo, Bahia, Rondônia e Pernambuco. 

 

As investigações começaram após a apreensão de 535 kg de cocaína em um jato executivo pertencente a uma empresa portuguesa ligada a Rowles Magalhães, em fevereiro do ano passado, em Salvador. 

 

Conforme  a PF, a partir de então foi possível identificar a estrutura da organização criminosa atuante nos dois países, composta por fornecedores de cocaína, mecânicos de aviação e auxiliares (responsáveis pela abertura da fuselagem da aeronave para acondicionar o entorpecente), transportadores (responsáveis pelo voo) e doleiros (responsáveis pela movimentação financeira do grupo).


Resumo Online

E-mail
Redação: [email protected]

Telefones
(65) 3052-6030 / (65) 3052-6030

Todos os Direitos Reservados para Resumo Online

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo